Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Quarta-feira

Mais um dia da dieta! Este ainda não passou mas está quase no fim...Ai diazinho difícil! Eita pressão! Adoro o que eu faço, adoro mesmo, mas parece que estou sendo testada. A pressão está aumentando, mais responsabilidades, mais cobranças. É claro que me sinto feliz com isso, sinal que eles confiam em mim. O problema é que eu não confio... não sei se dou conta, se seguro a barra direito. Tenho muito medo de não conseguir e decepcionar a mim e a todos. A tarde pareceu ser muito mais longa do que o normal, no lanche tracei uma maçã considerável, mas aquela ansiedade e tensão não passou. A frutinha parece que abriu um rombo no meu estômago e cheguei em casa doida de fome. Geladeira! Fui até meu objetivo me doutrinando para comer fruta ou outra coisa leve. Que nada! Havia um pote com um resto de sorvete, o pior que era um resto mesmo! ... tá não era tããããão pouquinho. Não resisti! Ai, bem geladinho! Perfeito para aquele calor! Não comi tudo de uma vez, intercalei com um pequeno cacho de uv…

Nuss!

Eu sabia que fazer dieta era difícil, mas não pensei que fosse tanto!Nossa que parece que só por que você precisa se controlar é que as facilidades aparecem. É convite para tomar um sorvete, uma banana split maravilhosa que surge, uma janta do escritório. Sem contar os lanchinhos da galera no meio da tarde. Aff! Até que eu resisto mais do que eu esperava, mas não dá para resistir tanto a uma bolachinha bem marronzinha, toda recheada, dançando muito sensual na sua frente! Hehehehehe! E depois tem os cheiros! Hummm, esses são os melhores! Ou piores, nesse caso. Ontem, no meio da tarde, eu senti um cheirinho de maionese (vê se pode!), mas aquela maionese da época em que eu era criança. Que a mãe comprava só de vez em quando por que a grana era curta. Aquele cheiro e aquele sabor, nham! Delícia!!! Hoje, lá numa altura do dia, veio um cheirinho de pão caseiro. Daqueles que a minha avó fazia, que me dava um padacinho da massa crua para brincar e fazer os meus pãezinhos. O cheirinho do fermento ag…

A lua mudou?

Ou será que fui eu que mudei???
Até um tempo atrás, quando eu olhava para a lua enxergava um rostinho fofo, querido e meigo que ninguém mais via. Hoje ao olhar para o céu e vê-la linda e redonda lá em cima, só o que consegui perceber foram algumas manchas mais escuras. Que triste! Acho que chega um ponto na vida, que a gente passa por tanta coisa que acaba perdendo aquela ingenuidade, aquela inocência. Apesar de eu saber que meus problemas foram (são) pequenos perto de tantas outras coisas, sei que eles me modificaram de alguma maneira. Já chegaram a me dizer que perdi meu romantismo... será?! Senti muito não ver mais a minha carinha na lua. Ainda quero voltar a vê-la um dia. Mas como dizem alguns: um dia a gente cresce!