Cinema em Casa: Pronta para Amar

No último sábado recebi a visita da minha amiga irmã Mirian. E acabo de me dar conta que nunca falei dela aqui. Preciso apresentá-la à vocês, mas faço isso logo mais.
Então depois de uma jantinha e um bom vinho já era tarde e ela por aqui ficou. 
Como moro ao lado de uma locadora (ebaaa!) fomos escolher mais companhias para o resto da noite.  
Um dos escolhidos foi 
Sinopse:
"Marley (Kate Hudson) é uma mulher bem sucedida, independente e alegre. Mas para ela a idéia de apaixonar-se e viver feliz para sempre é uma grande mentira. Tudo muda quando ela é surpreendida por uma grave doença e por seu charmoso e tímido médico Julien (Geal Garcia Bernal). Contando com uma ajudinha de Deus (Whoopi Goldberg), ela tem a chance de fazer certo e finalmente estar pronta para amar."

Nunca fui de analisar muito os filmes. Eu assisto e se curtir a história, for legal e não tiver ninguém matando ninguém a tiros ou facadas tá ótimo. Com esse não foi diferente. 
A imagem da mulher independente, que afirma com frases e modo de vida, que não é preciso ter namorado/marido para ser feliz me atrai bastante. O modo com que ela descobre o amor e como pode ser bom ter alguém ao nosso lado é bastante encantador e ao mesmo tempo triste já que ela descobre isso junto com uma doença nada agradável. 

Não acho esse ator nada bonito, mas achei que ficou legal na história do filme. Bom ver que ela não se apaixonou por um homem moreno alto, bonito e sensual. Não foi a aparência que a atraiu mas sim quem ele era. Será que isso funciona na vida real??

Mas então, procurando imagens para colocar neste post me deparei com uma crítica que mostra alguns pontos que eu não havia percebido no filme. Segue alguns trechos dela e logo depois o meu comentário ;). Para ler ela na íntegra acesse o omelete


"Pronta para Amar | Crítica
Drama reacionário alerta: sexo demais pode matar
Marcelo Hessel
15 de Setembro de 2011


"Marley vai de bicicleta para a agência de publicidade onde trabalha, uma espécie de Don Draper de saias (ela pedala de saias) que espanta clientes com sua perspicácia quando diz que quem compra camisinhas são as mulheres, e não os homens. Marley tem um cão, um apartamento, dois amigos (o gay negro e a louca meio encalhada), transa com quem quer e não se compromete. Se não estava claro, ela repete em off que é perfeitamente possível ser feliz sozinha."
Achei linda a cena dela andando de bicicleta (essas cenas lindas, fofas e esvoaçantes sempre me encantam) e na maioria das vezes somos nós sim que compramos as camisinhas. Só ainda não acredito muito no "perfeitamente possível ser feliz sozinha".

"Felicitações à roteirista estreante Gren Wells, que completou 37 anos em junho, pela ideia de dar à personagem um câncer terminal no cólon - o que permite ao roteiro fazer um par de piadas sobre bunda e, no limite, induzir à interpretação de que Marley está recebendo um castigo do céu pelo despeito de ter aderido ao sexo anal. Por dentro de toda aquela fachada sentimental de descobertas de última hora (o amor efêmero, as pazes feitas no leito de morte), Pronta para Amar é um caroço de desonestidade."
Você pode me achar muito inocente, mas JURO que em nenhum momento percebi a doença como um castigo por esse motivo. E no filme não há nenhuma cena de sexo explícito ou qualquer outra coisa que dê a entender qual a prática de sexo mais usada pela personagem. Aff... "caroço de desonestidade"?? Menos, né?!

Chega!
Deixo o restante da crítica para vocês lerem lá no site e fico pensando: será que só eu assisto um filme sem neuroses e sem tantas análises assim?? 

Bejubeju =*

Comentários

  1. Olá!! EU adoro esse filme! É muito bonito *-* Ótima dica (: www.descobrindomundos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bonito mesmo M.
      Obrigada pela visita!!
      Bjs

      Excluir
  2. Já vi esse filme. Ri e chorei, porque sou uma tonta emocional. Ah, que chatice são os críticos, né? Bom mesmo é a interpretação que cada um dá ao que lê ou vê. Eu gostei e pronto!

    Beijos, Naty.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também ri e chorei Milene, mas faço isso em quase todos os filmes que assisto. Se for acompanhada de um bom vinho então, tô perdida, hehehe.
      Bjs

      Excluir
  3. Oiee.. amei esse filme, mas com certeza não o vi com nenhuma dessas críticas! Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que não fui só eu!!
      Bjs

      Excluir

Postar um comentário

Oi! Obrigada pelo comentário! Ele será respondido aqui mesmo, tá?!
Volte sempre ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Rapadurinha de Leite em pó

Feito Por Mim - Suporte para celular - D.I.Y

Papai Noel, Pai Natal ou Santa Claus