Cinema em casa - Solteiros com filhos

Oi! 
Comecei a assistir esse filme três vezes. Não. Ele não é nada complicado. Eu é que parei de assistir no meio nas duas primeiras vezes por que teimava em fazer duas coisas ao mesmo tempo: assistir e me arrumar ou assistir e cozinhar. Dai não dava certo, né? Hehehehe. 


Ao ver o casamento dos amigos mudarem completamente depois da chegada dos pequenos um casal de amigos se pergunta como realizar o sonho de ter um filho sem ter o relacionamento "destruído". Na visão deles no momento que a criança nasce ela passa a ser mais importante do que a pessoa que você escolheu para viver. E o relacionamento amoroso fica em segundo plano. 
Os dois já passaram dos trinta anos e para ela isso é um alarme. Eles decidem então, terem um filho juntos. Sem o compromisso do casamento e antes que ela já não possa mais engravidar. E só depois disso procurarem a suas respectivas “almas gêmeas”. 
O caso vira polêmica entre os amigos, que tem uma opinião diversa da do casal, mas apoiam a decisão. 
Só que a coisa toda acaba ficando um pouco mais complicada do que eles imaginavam. Ter um filho não é só “ter 100% de responsabilidade a metade do tempo” como eles acordaram. 

Confesso que no começo do filme já tinha comprado a ideia e pensado em aplicar isso na vida real. Mas no decorrer da história a gente vai juntando as pecinhas e percebendo, junto com o casal, que essa história toda é bem mais complexa do que eles pensaram. Envolve muito mais do que apenas o sentimento do casal, tem o lado da criança também. 

Divertido e Romântico. Gostei ;)

Comentários

  1. Não vi o filme, mas acho bem parecido com minha história, pelo menos a parte depois da chegada da criança. Por aqui é assim: 100% de responsabilidade em metade do tempo. Isso se chama guarda compartilhada.

    Um bjo, Naty.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Paty o detalhe do filme é que eles não tiveram um relacionamento. Apenas transaram para gerar um bebê.
      Ai é que está o pó... póbrema da questão, hehehe.

      Bjs

      Excluir
  2. Ah, eu quero ver. Adoro filmes assim que fazem rir (fazem, né?) sem serem besteirol idiota. Gosto do que me causa o riso espontâneo, sem ser comédia rasgada e chata. E o tema em si é bastante instigante.

    Beijo, menina cinéfila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cinéfila? É... pode ser, hehehe.
      Esse filme faz rir sim. E me emocionou também. Mas... eu sou uma manteiga derretida. Os risos sim eu garanto ;)

      Bjs

      Excluir

Postar um comentário

Oi! Obrigada pelo comentário! Ele será respondido aqui mesmo, tá?!
Volte sempre ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Rapadurinha de Leite em pó

Feito Por Mim - Suporte para celular - D.I.Y

Papai Noel, Pai Natal ou Santa Claus