Somos tão Jovens


"Brasília, 1973. Renato (Thiago Mendonça) acabou de se mudar com a família para a cidade, vindo do Rio de Janeiro. Na época ele sofria de uma doença óssea rara, a epifisiólise, que o deixou numa cadeira de rodas após passar por uma cirurgia. Obrigado a permanecer em casa, aos poucos ele passou a se interessar por música. Fã do punk rock, Renato começa a se envolver com o cenário musical de Brasília após melhorar dos problemas de saúde. É quando ajuda a fundar a banda Aborto Elétrico e, posteriormente, a Legião Urbana."

Lançamento: 03 de maio de 2013
Dirigido por: Antônio Carlos da Fontoura
Com: Thiago Mendonça. Laila Zad, Bruno Torres.
Gênero: Drama, Biografia
Nacionalidade: Brasil

Até que enfim consegui assistir. Em casa, no conforto do meu colchão.
A espera valeu a pena.
Não tinha muita noção da vida do Renato (fiz o favor de não terminar de ler o livro que tenho sobre ele). Foi interessante ver o lado humano e meio egoísta do cantor. Afinal, ele era uma pessoa normal, com defeitos e qualidades. Me encantei com a história da música "É Cedo" e com vários outros detalhes que nunca passaram pela minha cabeça que ele tivesse dito/feito.


**Não recomendado para menores de 14 anos.

Comentários

  1. Oi, Naty, como vai?
    Ouvi opiniões diferentes sobre esse filme, alguns gostaram, outros nem tanto, legal saber que você gostou. Ainda quero assistir. Essa questão da doença que Renato teve, por exemplo, eu não sabia.
    Desejo um 2014 super pra você.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi Vane!
    Estou bem e você???
    Bem, eu tinha lido alguma coisa sobre a doença dele no começo do livro (Renato Russo - O filho da revolução) mas como não terminei a leitura não descobri muita coisa. No filme eles não dão tantos detalhes, mas mostram a recuperação dele e o que rendeu o tempo que ele ficou na cadeira de rodas.
    Vou lá te ver em 3, 2...
    Hehehehehe!

    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Não vi ainda o filme, e o livro parei de ler lá pela metade, porque tem política demais e isso é até compreensível, né? Já que a história dele começa na época da ditadura.

    Quero ver.
    Quero ler.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Milene!!
    Também achei muita política no livro, mas ainda faço mais uma tentativa de leitura.

    Bjus

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi! Obrigada pelo comentário! Ele será respondido aqui mesmo, tá?!
Volte sempre ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Rapadurinha de Leite em pó

Feito Por Mim - Suporte para celular - D.I.Y

Dez Mulheres - Marcela Serrano