Depois dos trinta... (fato 2)

... coloquei aparelho. 
Não é das sensações mais agradáveis do mundo, isso eu já sabia. Mas era um troço que eu sempre quis fazer e um belo dia na minha adolescência um profissional me disse que sim, eu precisava.
Esse ano, depois de não conseguir a CNH decidi que era isso que iria fazer. Foi meio que uma compensação, sabe assim?!

Sempre amei meu sorriso, mas confesso que queria ele mais bonito. Mais branquinho, inclusive, mas achava bobagem clarear sem ajustar. Então, bora lá. 
O problema maior era a mordida cruzada e nem tanto os dentenhos tortos.

~ Incluo isso nas vantagens de ser adulto. Poder fazer várias coisas sem precisar pedir autorização pra ninguém. Arcar com os custos das suas loucuras. ~

O fato é que aqui estou eu lidando com essa experiência dolorida que é o dito aparelho fixo. Entrei no quarto mês com o sorriso todo metalizado e confesso que vou da alegria desse status até o arrependimento e a sensação de ficar banguela. O tratamento está previsto para dois anos e meio e estamos evoluindo conforme o esperado.

Acabo me divertindo com essas sensações malucas e ando me achando bem charmosa com esse acessório. E ainda a-do-ro a função das borrachinhas coloridas .
O ruim é não poder reclamar das dores, hahahahahaha. 
Eu que sempre tive talento para a dramaturgia nem ouso abrir a boca pra isso por que sei que corro o risco de ganhar puxões de orelha .

"Depois dos 30..." é uma categoria onde falo sobre alguns acontecimentos importantes pra mim depois que entrei pro time das balzaquianas. Alguns deles estavam na minha lista "101 em 1001" que você pode conferir numa abinha ali em cima. 

Para acompanhar todas as postagens dá para clicar ali nas palavrinhas "Depois dos 30..." que (teoricamente) se encontram a direita aqui no bloguito. 
Os fatos não serão publicados em ordem de acontecimento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rapadurinha de Leite em pó

Feito Por Mim - Suporte para celular - D.I.Y

Papai Noel, Pai Natal ou Santa Claus