Tag: Vida de Gateira!

Achei essa tag lá no blog da  (ó as intimidade, hahaha) e não resisti.

TAG-VIDA-DE-GATEIRA


Minha história com gatos vem da infância. Já falei um pouco a respeito aqui. Na época desse post eu tinha só duas. Hoje tenho 4:

Marie


A mais velha, 8 anos. SRD.
Logo que mudamos pra cá meu marido a adotou. Na época eu não queria um bichinho e a nossa adaptação (minha com ela e dela comigo) foi tensa. Quando me separei ela e a Bibi (in memorian) ficaram comigo e minha mãe. Ela era mais retraída, tímida, sempre na dela. Nunca foi muito de receber nem de pedir carinho.
Esse ano ela ficou bastante doente, com um problema renal. E eu fiquei muito mal com isso. No período crítico da doença dormimos na sala, eu e ela. A cada hora eu a alimentava, dava água, aquecia e isso serviu para nos aproximar. Eu conheci a Marie esse ano. Aprendi a respeitar o jeito dela e nosso relacionamento melhorou muito. Amo muito essa velhuxca.
A minha velha não come ração especial nem toma medicação diária. Adora uma carne crua, seja gado ou frango, mas só ganha muito esporadicamente. Não gosta de sachê e é toda delicada. Elegante, eu diria. Não é de brincar muito e só observa a folia das mais novas. Se esconde quando chega visita.


Lola


Completou 1 ano dia 20 de setembro. SRD.
Depois que a Bibi faleceu achamos que a Marie ficava muito tempo sozinha e resolvemos adotar mais uma gatinha. Queríamos na verdade um macho, mas acabou que a Lola apareceu. Uma frajolinha com uma mancha no nariz. A Lolita tem uma personalidade forte. Nos primeiros meses era bem irritada e mordia tudo e todos. É sapeca e muito arteira. Se estou em casa ela me acompanha todo o tempo, inclusive no banheiro. Adora a janela do box. Come de tudo, incluindo iogurte, rúcula, mamão e manga (sempre ganha um pedacinho/folha quando a gente vai comer). Quando chega visita ela vai cheirar e investigar a pessoa, se convidando a ir para o colo. Chamo ela de "perdigueira" por que adora farejar tudo e a brincadeira que mais gosta é de buscar sacolinha enrolada. Posso ficar horas jogando a sacolinha que ela ficará trazendo de volta por horas.

Luna


Tem quase um ano de idade e chegou aqui três meses depois da Lola. Siamês/Sialata.
Foi abandonada na rua pelos antigos donos e uma amiga minha a salvou. Não resisti aqueles olhos azuis. Super dócil, ela ganhou a minha mãe na primeira noite. A adaptação com as outras gatas da casa foi um pouco mais longa, mas assim que começou a se sentir em casa ela e a Lola já colocavam fogo no apê. A chegada dela acalmou a Lola, que parou de morder a todos. Ela só come ração e sachê, e come muito, várias vezes ao dia.
Também é chamada de peluda, pelego, tonelada. Já chega perto da gente ronronando e podemos abraçar, apertar, amassar, afofar de montão. Não gosta de visitas é a mais brincalhona de todas, ama brincar com um ratinho de pelúcia ou um novelo de lã/linha. Quando meu despertador toca ela é a primeira a subir na minha cama, ronronando. Luta MMA com a Lola, hahahaha.

Sushi


É a hóspede. Na verdade estou quase com a guarda dela, hehehe. SRD.
É de uma amiga e veio pra cá no final de julho. Tinha uma irmã gêmea que fugiu e acabei trazendo ela pra casa quando minha amiga viajou. Ela tem nariz e almofadinhas cor - de - rosa. É uma fofa, amada e delicada. Não brinca muito, mas adora viver nas alturas, o que lhe rendeu uma contratura muscular e um belo susto pra mim esses dias. O período de adaptação com as outras foi demorado, mas hoje já dormem escoradas umas nas outras.

Todas gostam de muito carinho, claro, mas cada uma a seu modo. São 4 personalidades muito diferentes e sou completamente apaixonada por todas.

A ração que dou atualmente é a Frost Super Premium, compro um pacotão de 7kg que tá durando o mês. O sachê varia entre Whiskas, Friskies ou Tree cats.

O banheiro delas é uma caixa de massa, dessas que utilizam nas obras. Parece estranho, mas é uma belezura. Ela é maior, tem mais espaço e cabe bastante areia. Já usei areia da Kets, Dondocats, Le-Cat, mas eu gosto mesmo é da Tati Cats, parece que absorve bem melhor e rende mais. Mas nem sempre eu acho por aqui.

O que dizer para quem não tem gatinhos?
A gente só sabe o que é quando tem. São seres incríveis, inteligentes e com personalidades distintas, posso garantir. Um gato não é igual ao outro e boa parte do que ele é depende de seus donos. Se ele recebe amor ele dará amor, simples assim. 

E é isso gentem! Acho que respondi as perguntas da tag, mas se ficou alguma dúvida é só perguntar que eu respondo. No meu instagram tem mais fotinhas delas. Mais fotos delas do que de mim, hahahaha.
Adorei contar um pouco sobre o meu "Quarteto Fantástico" e lá no Mulher Vitrola vocês podem conferir as outras gateiras que participam da tag.

Bjobjo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rapadurinha de Leite em pó

Feito Por Mim - Suporte para celular - D.I.Y

Dez Mulheres - Marcela Serrano